Síndrome de Rebeca
|

Ciúme retroativo: o que é e como se curar da Síndrome de Rebeca

Deuses do Amor - Última atualização: 5 de julho de 2024

Todos nós, mais ou menos, já sentimos uma espécie de ciúme das ex-namoradas de nossos atuais parceiros, quase acusando-as de terem chegado antes de nós. Hoje esse sentimento tem nome e é conhecido como “ciúme retroativo” ou Síndrome de Rebeca. 

Vejamos em que consiste, quais são os sintomas e causas e como é possível libertar-se dos ciúmes do passado!

O que é ciúme retroativo?

O ciúme retroativo difere do ciúme normal porque, como o nome sugere, ele olha para trás e se volta para o passado do parceiro atual. Portanto, qualquer pessoa afetada pelo ciúme retroativo tende a desenvolver uma fixação nos relacionamentos que o outro tinha antes de conhecê-lo, sentindo-se incomodado com o simples pensamento de que pode ter sentido um sentimento de amor por alguém que não era ela, mesmo depois muitos anos. 

Ter tido uma experiência sexual e/ou sentimental anterior à atual torna-se assim uma falta da qual é possível ser constantemente acusado. Na maioria dos casos, essas alegações são infundadas devido a um ciúme que poderíamos definir como desequilibrado e irracional e que, em muitos aspectos, pode estar associado ao transtorno obsessivo-compulsivo.Veja também

Por que se chama Síndrome de Rebecca?

O ciúme retroativo também é conhecido na psicologia como Síndrome de Rebecca , do nome da protagonista do romance “Rebecca, a primeira esposa” de Daphne du Maurier, do qual, em 1940, foi baseado o filme homônimo de Alfred Hitchcock, vencedor do Oscar. Na história, Rebecca é a já falecida primeira esposa de um cavalheiro rico que recentemente se casou com uma jovem dama de companhia. 

Esta, ao se mudar para a casa do novo marido, é objeto de constantes comparações com a figura de Rebeca ., uma mulher que acaba por ser muito estimada, sobretudo pelos criados. Depois, a protagonista, exacerbada pelos confrontos cada vez mais assíduos, deixa-se devorar por ciúmes sinistros, comprometendo a vida conjugal e dando assim uma representação bastante clara do que hoje chamamos de ciúme retroativo.

Ciúmes retroativos em homens e mulheres

Esse sentimento atinge homens e mulheres sem distinção, mas com algumas diferenças . A mulher tem ciúmes sobretudo do passado sentimental do atual companheiro e, portanto, sofre por não ter sido a primeira com quem ele compartilhou certas experiências românticas. 

O homem , por outro lado, que cresceu em um contexto social baseado nos valores do patriarcado , tem mais ciúmes de seu passado sexual e seu orgulho é ferido por não ter sido o primeiro a conquistar a “posse” de aquela pessoa em particular.

Quais são os sintomas do ciúme retroativo?

Agora que temos uma compreensão mais clara do conceito de Síndrome de Rebeca, vejamos quais são os principais sintomas que distinguem esta síndrome:

  • Um estado constante de ansiedade, muitas vezes associado a âncoras, raiva e desconforto;
  • Mania de controle;
  • Uma percepção alterada do passado do parceiro: Muitas vezes, fica-se com a impressão de que o relacionamento anterior era melhor do que o atual.
  • Tendência a se comparar constantemente com ex;
  • Incubar uma verdadeira obsessão pelo passado sentimental da pessoa que está ao nosso lado, sendo assombrados por imagens que a captam em atitudes íntimas e românticas com parceiros anteriores;
  • Desenvolva uma curiosidade às vezes mórbida, pela qual o ciumento não pode deixar de fazer perguntas constantes sobre o ex e ir buscar cada vez mais informações nas redes sociais;
  • Encontrar pretextos contínuos para discutir e testar o sentimento de amor que o outro diz sentir por nós;
  • Viver em constante medo de ser deixado para voltar com seu ex;
  • Formular pensamentos paranóicos e alimentar suspeitas persistentes sobre a fidelidade do parceiro, mesmo na ausência de evidências;
  • Tornar-se particularmente possessivo ;
  • Apresentando traços masoquistas: apesar do sofrimento que qualquer informação adicional traz para a pessoa que sofre de ciúme, esta não pode deixar de perguntar e saber , desencadeando assim um círculo vicioso bastante doloroso;

As causas

Existem várias causas que podem desencadear um sentimento de ciúme retroativo em uma pessoa , vamos vê-las a seguir:

  • Baixa autoestima: a ausência de autoestima pode comprometer a felicidade de nossos relacionamentos, deixando-nos sem vontade e deixando que inseguranças e ciúmes tomem conta da vida de um casal. Na falta de amor próprio, não conseguimos entender como uma pessoa pode se apaixonar por nós e nos preferir ao ex e isso, além de insinuar ciúmes sem sentido, gera em nós ansiedade e frustração.
  • Traumas : ter acumulado vivências traumáticas, principalmente no campo sentimental, pode marcar uma pessoa para toda a vida e, quando não resolvidas, gerar comportamentos patológicos muitas vezes incontroláveis ​​nessa pessoa.
  • Medo do abandono : na base do ciúme, está o medo cego de perder o parceiro por causa de outra pessoa, neste caso específico do ex. Mesmo a origem da síndrome do abandono pode ser atribuída a possíveis traumas vivenciados pelo sujeito ao longo de sua vida e nunca totalmente curados.

Como superar a Síndrome de Rebeca?

Às vezes, não importa o quão bem-comportado, amoroso e fiel seja seu parceiro, o ciúme retroativo nunca vai superar a ideia de que seu ex é uma ameaça ao relacionamento. De forma mais geral, quando se trata de ciúme retroativo, deve-se especificar que existem diferentes estágios em que essa síndrome pode se apresentar: às vezes é uma forma de ciúme bastante leve e inofensiva, outras vezes, porém, beira o patológico. 

Dependendo da gravidade dos casos, é bom seguir caminhos diferentes. Aqui, então, algumas soluções com as quais é possível curar e superar os ciúmes do passado e viver sua história de amor com serenidade:

  • Autocontrole : tente o máximo que puder para evitar comportamentos de automutilação. Portanto, não investigue o passado sentimental de seu namorado ou namorada, não importune seu parceiro com perguntas, mas acima de tudo, não se coloque em competição com seu ex. Afinal, se acabou com essa pessoa, deve haver um motivo, certo?
  • Obtenha ajuda: nem sempre é possível desligar certos pensamentos por conta própria. Se você sente que não consegue controlar seu ciúme e teme que ele sufoque seu parceiro, para evitar um epílogo desagradável, considere seriamente consultar um especialista em psicologia. Graças à terapia direcionada, o psicoterapeuta poderá cavar fundo dentro de você, trazendo à tona as possíveis causas por trás dessa síndrome e ajudando você a resolver o problema de raiz.

Gostou desta matéria sobre Síndrome de Rebeca? Se sim, por favor, curta abaixo com um Like para que possamos entender melhor os interesses de nossos leitores. E leia mais dicas aqui